Notícias

Vila Real recebe a terceira jornada de Racing Weekend 2018, segunda pontuável para o Campeonato de Portugal de Velocidade Turismo e Supercar. Hoje, sexta-feira, é primeiro de três dias, em que a Velocidade Nacional corre nas ruas da cidade transmontana.

O programa de hoje foi totalmente preenchido com treinos e sessões de qualificação, para o Campeonato de Portugal de Velocidade Turismo, Supercar, Campeonato de Portugal de Velocidade Clássicos e Clássicos 1300 e Campeonato de Portugal de Velocidade Legends.

Começo algo atribulado, com o BMW M3 de Eduardo Passos a ter uma incursão pela relva, com muito "drifrt" à mistura, depois de um toque. Alheio a esses problemas estava Pedro Alves (Citroen Saxo), que fazia jus ao ditado da “candeia que vai à frente…”

O certo é que Pedro Alves colocava-se na liderança dos L99 e daí já nunca mais sairia. Na frente as coisas mais pareciam um troféu monomarca, não fora o caso de o Citroen Saxo de Fernando Cabral ser da categoria Especial, que logicamente comandava.

Os L99 dominaram a sessão de qualificação e foi Pedro Alves (Citroen Saxo), que fez a melhor marca, com 1m 30,853s, 47 centésimas mais rápido do que Rui Gonçalo (BMW M3 E36).

Fernando Cabral (Citroen Saxo) foi o mais rápido dos “Especial”, intrometeu-se mesmo na luta dos L99 e deixou o principal adversário Tito Gomes (BMW 320 Is) a 2,5 segundos.

O piloto da Volvo 850 T5 Estate, partiu da terceira linha da grelha, mas no final da reta da meta levou a melhor sobre José Meireles e os Saxo Cup dos irmãos Camilo. Comandou a prova de início a fim. 

Menos sorte teve José Meireles, que na terceira volta, quando rodava em segundo, viu o Toyota Carina E começar a perder potência e abandonou a luta pelos lugares cimeiros.

Pedro Alves comandou o pelotão dos Legends de início a fim, confirmando o trabalho da sessão de qualificação.  “Ontem consegui a pole à geral, a partir daí sabíamos que tinhamos argumentos, mas o importante era ganhar a classe porque é o nosso campeonato. Apostei forte desde início e consegui ganhar a batalha nas primeiras voltas, depois foi gerir até ao fim. Não posso dizer que foi uma corrida complicada, foi uma corrida de gestão”, referiu o piloto do Saxo Cup.

Com o Toyota Carina E já a 100%, José Meireles, que começou por assistir ao “duelo” entre Nuno Figueiredo e Rui Gonçalo, assumiu o segundo posto, na quinta passagem pela meta e não largou mais até final.

  • Anpac
  • Fpak
  • Full Eventos
  • Hankook
  • Murganheira